quarta-feira, 14 de abril de 2010

Lutar para viver

Levantei cedo, mandei minha filha para a escola e fui para o velório da Eloá (menina guerreira). Há dois anos morando em São Paulo a espera de um transplante e quando esse dia chegou, para alegria de todos, também levou-a dessa vida. Infelizmente ela não resistiu a tantas outras complicações porque já estava bastante debilitada. Que Deus proteja e dê o conforto a todos da sua família.
Tantas pessoas morrem nos dias de hoje à espera de um órgão e tantas outras morrem com todos os órgãos funcionando e vão deixar para os "bichinhos" comerem. Temos que deixar de sermos egoístas e pensarmos nas outras pessoas que precisam de apenas um ato de amor para continuarem sua caminhada na terra. Temos que fazer com que essas listas de espera em vários hospitais diminuam, não apenas nós reles mortais, mas os nossos governantes tem que agir e interagir. Abrir mais postos de transplantes, tornar-se mais eficiente a doação de órgãos, às vezes têm pessoas que querem fazer esse ato de amor, mas são tantas as burocracias e também falta de informação que nem sabemos como podemos exercer o nosso direito de sermos doadores. Doar é salvar vidas.

Nenhum comentário:

Seguidores