segunda-feira, 10 de maio de 2010

O fim de semana passou voando.
Sábado estive na faculdade pela manhã e à noite fomos para uma reuniãozinha da casa da Horaciane e Cid. Saboreamos um delicioso caldo de feijão e ainda brincamos um pouquinho de Bingo. Fui deitar um pouco tarde.
Domingo, 7 da manhã, levantei animada. Eu e meu maridão fomos andar de bicicleta e enquanto pedalávamos fomos colocando o papo em dia. Reunimos mais tarde na casa da minha mãe em um almoço em família. Minha família está bem grande:
Mãe e José Raimundo; Márcia, Wilson, João Felipe, Daniela e Gabriel; Edson, Náuria, Carolina e Gabrieli; Beto, Raquel e Letícia; Cal; João Lúcio, eu, Pedro Henrique e Ana Paula. Quase vinte pessoas! Daqui a alguns anos vem a terceira geração...
Meus presentes do dia das Mães: um tênis, um porta retrato, um vaso de flores  e uma mensagem linda.



Meu sobrinho Renan.
Adorei a música, grande compositor.

Música composta em homenagem a um grande amigo, Fillipe Artenis, que tenta resumir um ponto de agradecimento e uma reflexão positivista desse cara que transmitiu tanta alegria aos que tiveram o prazer de conviver com ele. Uma singela homenagem em nome de todos os amigos.

LETRA:
Se a constancia do silencio
libertasse da saudade...
E ampliar por um momento
o que me rompe da percepção
Como uma antena captar
o que se passa na amizade
Por um breve momento... pra toda eternidade

No caminho há variaveis que nos deixam fluir
Independente do caminho paralelo que você foi seguir
O seu sorriso e presença ainda ecoa no ar
É um legado meu amigo, e assim com a gente, você sempre vai estar

É expandir pro alto o ato de viver
É a arte de existir dentro do coração...
É ver fluir no tempo o que você criou
Expandir sua alegria além de nossa compreensão

A intensidade de uma vida
não se mede com o tempo
E não se juga a trajetoria
na medida que conhecemos
O que é breve tende sempre a se eternizar
E que mantem por perto
E não se pode explicar

Seguidores